top of page

NADADOR DA CBDI RECEBE PRÊMIO DE ATLETA PARALÍMPICO 2022

A CBDI comemora hoje, mais uma grande conquista, por um de seus atletas, Davi Hermes, da natação classe II 2 (Síndrome de Down).

Na noite da última quarta-feira, dia 25/01/2023, no Teatro Arthur Azevedo, foi realizada a cerimônia de entrega do Troféu Mirante Esporte.

E a estrela do nosso Davi brilhou bem alto, conquistando assim o prêmio na categoria ‘Atleta Paraolímpico’.

“A CBDI se sente muito orgulhosa em ter o atleta Davi fazendo parte do seu quadro e integrando também a seleção brasileira de natação da categoria”, ressalta Adilson Ramos, presidente da CBDI.

“Estou muito feliz, e nesse ano eu quero uma batalha muito legal”, disse o atleta, ao receber o premio.

Em um texto emocionado, no dia 26 de janeiro de 2023, o pai, George Hermes, descreve a trajetória do atleta, desde o seu nascimento:

“Há 19 anos, um bebezinho chegou para inundar nossos corações de amor; nosso primeiro filho. Tal emoção só foi comparada com a do nascimento do irmão, 5 anos após. Nosso rapazinho, Davi Hermes, nosso pequeno guerreiro, de surpresa nos apresentou à trissomia do 21, a qual não tínhamos vivência nenhuma familiar ou de amigos, mas, que só nos preencheu com uma única determinação: criá-lo, de forma que ele se sentisse feliz e pleno, tendo consciência de sua condição genética, sem autopiedade, porém, e com coragem de enfrentar os desafios que a vida lhe traria.

Durante os anos da infância, comemoração de cada etapa: o levantar da cabeça; o girar o corpo; o sentar; o engatinhar; o levantar-se; o andar… todas, regadas por muito amor e lágrimas, minhas e de minha amada Kledma; mãe, sem palavras para descrever o quão guerreira e determinada é, pela felicidade dos filhos. O início da escola; a alfabetização; o convívio fora de casa; seus primeiros aprendizados; suas apresentações nas datas festivas. Passa um filme na memória, com uma dorzinha de saudade da fase infantil de nosso menininho.

A chegada do irmão foi marcante na vida do Davi. Curtiu o crescimento da barriga da mãe, com muito amor e expectativa. Teria um irmão; o Lucas Hermes! Nunca se sentiu enciumado, teria o seu parceiro. Cresceram juntos, com muito amor e confusão, enfim, como irmãos que se complementam.

Desde cedo, Davi foi iniciado na prática esportiva, com a natação para bebês. Esporte da família, também comemoramos os primeiros mergulhos; as braçadas iniciais; as primeiras voltas na piscina ainda na largura; os primeiros torneios escolares; nem se fala! Comecei a me perguntar então: haveria torneios específicos para as pessoas com Síndrome de Down?

Chegada da adolescência. Davi se percebendo diferente, e não aceitando o afastamento da maioria dos colegas com quem convivia desde a infância. Cessaram os convites para festas. Doía calado em mim e na mãe, este isolamento. Mesmo tendo a parceria da escola, com palestras sobre inclusão, não conseguíamos avançar nesta integração. Em paralelo, crescia a complexidade das informações escolares. No ensino médio, finalmente surgiram poucas, porém puras e sinceras amizades.

Na adolescência, a natação cresceu em importância e seriedade em sua vida. Comprometimento; dedicação; esforço; disciplina nas rotinas da vida de atleta; treinos; dieta; sono… Jogos escolares estaduais e nacionais e as competições regionais e nacionais da classe especifica. O ápice desta fase de vida foi, incontestavelmente, as conquistas no Mundial do Canadá, em 2018, com duas medalhas de ouro e uma de bronze.

Com a maioridade, em 2022, concluiu a fase escolar. Manifestou o desejo de estudar Educação Física. Meu Deus, e agora? Tão poucos no Brasil conseguiram atingir o ensino universitário; aqui apenas um rapaz concluiu seu curso. Como seria tudo? Como ele se relacionaria, num ambiente mais aberto que uma escola? Haveria adaptação/inclusão? Apesar de todas essas dúvidas preenchendo nossas mentes e corações, apoiamos sua decisão. Davi foi aprovado no vestibular de uma universidade de São Luís (UNICEUMA) e no ENEM para um centro universitário de Minas Gerais. Começo de uma nova fase. Já cursou dois períodos, estando apaixonado pelo curso. Já participou de Jogos universitários estadual e nacional, com vitórias. Também nova disputa de mundial, obtendo melhora de suas marcas e dois quartos lugares na categoria sênior. Ainda neste ano, foi homenageado pela Assembleia Legislativa do Maranhão com a medalha de Honra ao Mérito Legislativo José Ribamar de Oliveira “Canhoteiro”. 

Início de 2023. Quarta indicação para o Troféu Mirante, sempre cercada de muita expectativa. Davi está novamente entre atletas de altíssimo nível, já fazendo parte deste seleto grupo de super-heróis do esporte. Ele curte se encontrar nestes eventos com estrelas que se tornaram amigos, como exemplo, Kadu Pakinha; Ribamar Galvão e Bruno Lobo. Ontem, ele se sentiu em êxtase ao subir ao palco do Teatro Arthur Azevedo para receber seu troféu.

Sentado, estava eu, à distância, observando meu menininho que peguei em meus braços naquele 15 de maio de 2003, tão frágil e dependente, sendo aclamado como um dos super-heróis do esporte maranhense! Cheio de vigor, saudável, sociável e independente, enfim, um homem feliz e orgulhoso de seus feitos! O que virá pela frente, que seja feita a vontade de Deus. Mas saiba, meu filho, que sua família sempre estará ao seu lado e pronta para novos sorrisos e lágrimas em seus futuros desafios, no esporte e na vida”.

“A CBDI parabeniza Davi Hermes e a todos que, direta ou indiretamente, fizeram parte dessa conquista”.

Wilson Lopes Junior

Depto. Técnico CBDI

Commenti


bottom of page